Tudo o que o Pai possue é meu

A Solenidade da Santíssima Trindade é um convite para contemplarmos Deus. “Deus é amor”. Do amor trinitário tudo é criado.
Contemplar esse Mistério leva-nos àquilo que é mais íntimo no ser humano: seu desejo de felicidade, de comunhão, de paz. Leva-nos ao desejo mais profundo que está em nós: encontrar com o seu Criador.
Na história da salvação, a Trindade vai se revelando. Isso se dá plenamente em Jesus, missionário do Pai, cujo anseio é fazer a vontade Daquele que O enviou.
Na ação do Filho, percebemos que a vontade do Pai é que “todos tenham vida e vida em abundância” e que todos se salvem. A missão que norteará toda a Sua vida é: “obediente ao Pai até a morte e morte de cruz”.
Em Jesus se realiza de forma perfeita o projeto do Pai. O Espírito Santificador vem em socorro da Igreja, testemunha do amor de Deus pela humanidade, ensinando e recordando o caminho do Senhor.
Deus amou tanto o mundo que deu a nós seu Filho único, caminho, verdade e vida. Seguir seus passos no hoje da história é continuar sua missão de amor.
Como é triste olharmos para o projeto originário tão querido por Deus e vê-lo desfigurado pelas guerras, pela fome. Hoje no Brasil 33,1 milhões de filhos de Deus passam fome. O egoísmo e o consumismo desenfreado que levam à destruição da casa comum, ameaçam os povos indígenas e quilombolas. É preciso contemplar o Amor.
É tempo de cuidar. Paz e Bem!
 
Frei Carlos Alberto, OFMConv.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.