Renuncie a si mesmo, tome a sua cruz a cada dia, e siga-me

Nesta última semana acompanhamos a trágica notícia da morte do indigenista Bruno Pereira e o jornalista Dom Philips. Mortes trágicas, e que trazem seus significados.

Essas mortes representam o assassinato de dois grandes homens que acreditavam num projeto de vida para todos, principalmente na defesa dos direitos dos povos indígenas, da fauna e flora, dos rios, dos pobres.
O outro projeto, representam o sistema perverso de poder, de dinheiro e de uma verdade que para chegar ao seu objetivo destrói tudo o que entra em sua frente. Matam a floresta, matam os povos originários dessa terra, matam os rios, matam a fauna, matam a flora, matam os que lutam por justiça. Matam. É um projeto destruidor, mas gera riqueza para uma minoria. São apoiados por forças poderosas do Estado brasileiro.
A Palavra de Deus hoje apresenta o Senhor, o Cristo que também enfrentou em seu tempo o projeto de morte representado pelos anciãos, sumos sacerdotes e doutores da lei. Eles também eram detentores do poder, do dinheiro e de uma verdade que lhes trazia benefícios. Jesus os desmascarou e por isso morreu. Mas o Pai o Ressuscitou. Seu convite para quem reconhece que Ele é o Senhor: “Renuncie a si mesmo, tome a sua cruz a cada dia, e siga-me” (Lc 9, 23).
É tempo de cuidar. Paz e bem!
 
Frei Carlos Alberto, OFMConv.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.